Sábado, 14 de Fevereiro de 2004

Pensão Familiar

 

 

 

Jardim da pensãozinha burguesa.

 

Gatos espapaçados ao sol.

A tiririca sitia os canteiros chatos.

O sol acaba de crestar os gosmilhos que murcharam.

Os girassóis E as dálias, rechonchudas, plebéias, dominicais.

Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçom de restaurant-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
- É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.
 
Petrópolis, 1925
 
Manuel Bandeira, Estrela da Vida Inteira, Editora Nova Fronteira, 31ª ed, Rio de Janeiro, 1993

 

publicado por arcadajade às 22:03
link do post | comentar
1 comentário:
De Anónimo a 1 de Março de 2004 às 17:29
Adoro este poema de Bandeira: "Um gatinho faz pipi./Com gestos de garçom de restaurant-Palace/
Encobre cuidadosamente a mijadinha." Estes diminutivos, esta variação de registos de língua, do "cuidadosamente" ao "pipi" à "mijadinha"... E depois essa perninha vibrada para trás com elegância? São assim os gatos, criaturas da maior finesse. E Bandeira - POETA GRANDE!Sol
</a>
(mailto:sol@oo.pt)

Comentar

correio da arca

espólio da arca

sobre mim

tags

todas as tags

RSS

moon phases