4 comentários:
De Anónimo a 25 de Fevereiro de 2004 às 23:51
Obrigada, LE., pela visita e pelo poema de Éluard, que vai integrar a Arca. Tem duas gatas? Então só pode ser gente boa :-)

Quanto aos gatos snobs, Amélia, não havia uma cantilena infantil sobre um gato maltês que tocava piano e falava francês? :-)jade
</a>
(mailto:jade@iol.pt)
De Anónimo a 25 de Fevereiro de 2004 às 22:12
São snobes, graças aos mimos. Coitadas, uma recolhi da rua, a outra, de uma gaiola, numa loja. 2 euros, simbólicos...LE.
(http://oceanus-occidentalis.weblog.com.pt)
(mailto:oceanus-occidentalis@sapo.pt)
De Anónimo a 25 de Fevereiro de 2004 às 16:15
gatos snobs...falando francês, hein?amelia
</a>
(mailto:amelia.pais@netcabo.pt)
De Anónimo a 25 de Fevereiro de 2004 às 02:16
GATO

"Pra não poisar senão um dedo
É demasiado grande o gato.
Com a cauda na cabeça,
Gira num círculo e a essa
Carícia ele corresponde nesse acto.
Mas o homem, à noite, vê os seus olhos
Cuja única virtude é a palidez.
São demasiado grandes pra esconder
E pesados prò vento perdido do sonho.
Sempre que o gato dança É só pra isolar essa prisão
E quando pensa
É até às fronteiras dos seus olhos."

Paul Eluard

Tenho duas gatas, lindas, também.LE.
(http://oceanus-occidentalis.weblog.com.pt)
(mailto:oceanus-occidentalis@sapo.pt)

Comentar