Domingo, 3 de Abril de 2005

A gata


do meu amigo António


Image hosted by Photobucket.com
... uma gata
cor de prata
é tigresa
e literata!

António Cardoso Pinto

 

 



 

publicado por arcadajade às 19:58
link do post
Domingo, 16 de Maio de 2004

Rendição


pente2.jpg


Vi, nos olhos do gato, a sua ira.
Crispadas,
suas mãos promoviam
o paradoxo do afago.
Retesados,
os músculos do felino
pronto para a fuga
denunciavam seu ânimo.

Como o bicho,
submeti-me às suas garras,
submisso que sou, por livre vontade,
para meu gozo perigoso,
aos seus desejos.

Vejo o seu sorriso vitorioso.
Compraz-me saber que, derrotado,
terei em troca o prazer:
prêmio de consolação, mais valioso
que o do orgulho da vitória.
Prefiro o seu carinho à glória
e o seu amuo.

Rendo-me e rio,
um riso íntimo
e silencioso
que a expressão não denuncie.


Fred Matos, Anomalias, Editora Kelps, Goiânia, 2002

publicado por arcadajade às 20:04
link do post | comentar
Quinta-feira, 12 de Fevereiro de 2004

Mimoso

Lá vem o gato
miando baixo,
rabo na perna,
quer de comer.

Não fala nada,
mas é preciso:
nem papagaio
sabe dizer
tão bem assim.

É manhãzinha,
gato quer colo.
Trepou de noite
com bem-querer.


António Adriano de Medeiros

publicado por arcadajade às 17:29
link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2004

os gatos

 

à noite todos são
escuros partes
de si espelhos reflectindo o brilho
da escuridão:

pedaços que nós deixamos
perdidos abandonados
no meio do dia antes
de morrer

 

 

Adair Carvalhais Júnior, Roteiros Para um Final de Era, Belo Horizonte, 1998

publicado por arcadajade às 13:48
link do post | comentar
correio da arca

espólio da arca

sobre mim

tags

todas as tags

RSS